Gerontóloga Maria Alice Machado quer combater Violência contra Idosos

A Mestre em Gerontologia, Maria Alice Machado falando no Fórum Paulista de Conscientização do Envelhecimento.

No 3º Encontro, na Capital, do Fórum Paulista de Conscientização do Envelhecimento realizado na tarde do dia 8 de dezembro, a assistente social, especialista em Gerontologia Social pela Universidade de Barcelona e Mestre em Gerontologia pela PUC-SP e membro da Gerações, Maria Alice Machado fez uma apresentação falando da Violência contra pessoa idosa- nova questão para a consciência nacional.

Para saber mais das suas colocações, o Jornal da 3ª Idade conversou com ela, após o evento.

Jornal da 3ª Idade – Por que na sua apresentação a senhora coloca a Violência Contra a Pessoa Idosa como “Nova questão da Consciência Nacional”?

Maria Alice Machado – Esta é uma questão complexa  para ser tratada brevemente, pois envolve muitos fatos ocorridos na conjuntura nacional pós Constituinte, que deram origem a um novo momento em nosso país. Com a redemocratização da sociedade brasileira no final dos anos oitenta, com o crescimento da consciência social e organização dos movimentos sociais, a questão dos direitos humanos tomou o centro das discussões políticas. O Crescimento da população idosa coincide com esse momento, vindo à tona as dificuldades do envelhecer no Brasil. Entre as várias demandas por direitos sociais trazidas por esses novos atores políticos, começa a surgir, em vários pontos do país, a preocupação com o fenômeno do envelhecimento da população, visto como uma “questão social do envelhecimento”, pelo abandono e a falta de investimentos nessa área.

Explicita-se a Questão Social do Envelhecimento e o estado passa a ser pressionado a criar políticas públicas de atenção à população idosa. O Estado toma a decisão política de universalizar direitos e proteger a pessoa idosa, criando enfim a Política Nacional do Idoso, numa atitude nova, própria deste momento histórico da consciência nacional.

A questão da violência contra a pessoa idosa ganha visibilidade, muitas ações para combatê-la são iniciadas por todo país e em 2005 tem lugar em Brasília o Seminário Internacional sobre Direitos Humanos e Envelhecimento sendo criado a partir de então, o Plano Nacional de Enfrentamento a Violência contra Pessoa Idosa.

Desde então estudos, pesquisas e muitos projetos e programas foram criados para minimizar esse fenômeno, mas o que se vê é que a situação ainda persiste e tem que ser enfrentada coletivamente, para que as condições de respeito e cuidado pela pessoa idosa possam enfim se tornar uma prática cotidiana.

Jornal da 3ª Idade – Quais as maiores dificuldades dos profissionais que trabalham com idosos de identificar os sinais de violência na pessoa idosa?

Maria Alice Machado – As maiores dificuldades encontradas pelos profissionais que se deparam com situações de violência vividas pelos idosos são as seguintes, dentre outras:

Falta de informação para identificar corretamente sinais, indicadores e procedimentos para a intervenção; Ausência de protocolos para a detecção, avaliação e intervenção nas situações de violência; acreditar no mito de que a família proporciona apoio e amo; Medo que o cuidador tome represálias contra o idoso; não querer envolver-se com questões legais; Impotência mediante as situações de violência; não dispor de tempo necessário para a realização de uma avaliação minuciosa da situação.

Jornal da 3ª Idade – O que é o Pacto de Silêncio da Sociedade, que a senhora abordou na sua explanação?

Maria Alice Machado – O pacto do silêncio se refere aos abusos sofridos pelas pessoas idosas e não notificados ou ignorados pela sociedade, escondendo esse fenômeno.

Simone de Beauvoir, em seu grande estudo sobre a velhice fala na “conspiração do silêncio” sobre a violência na velhice, como se não falar sobre ela a fizesse desaparecer. Essa atitude é recorrente em nossa realidade havendo quase uma condescendência com o abandono, a miséria e o desrespeito aos idosos.

Jornal da 3ª Idade – Como o Fórum Paulista de Conscientização do Envelhecimento pode contribuir para a erradicação da Violência Contra a Pessoa Idosa?

Maria Alice Machado –  O Fórum é um espaço importante de debate, informação e troca de experiência sobre a condição do envelhecimento no estado de São Paulo, podendo oferecer subsídios para a construção de políticas públicas para o segmento.

Pode se tornar ainda espaço de denúncia e defesa de direitos dos idosos, construindo coletivamente, com a participação de vários segmentos da sociedade e inúmeros municípios do estado interlocução pública com os órgãos governamentais e entidades sociais, na busca de garantia dos direitos sociais dos idosos.

 

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *